Curta-metragem na Netflix é um grito por justiça racial

Em Dois Estranhos (2021) um homem que tenta voltar para casa fica preso em um loop temporal que o força a reviver um confronto mortal com um policial.

Dois Estranhos (Two Distant Strangers), distribuído pela Netflix, é uma história de looping no tempo. Mas não é o tipo de loop fofinho no qual o protagonista aprende a amar, como em Palm Springs…

O curta de 32 minutos é sobre algo mais urgente e poderoso: demonstrar que, não importa o que os negros façam: a impotência para impedir a polícia de matá-los predomina. Quer mais um motivo para assistir? Ele foi indicado ao Oscar 2021.

Breve sinopse de Dois Estranhos | Netflix

Escrito pelo comediante, escritor e diretor Travon Free, Dois Estranhos gira em torno de um cartunista negro chamado Carter James (Badass) e suas repetidas tentativas fracassadas de voltar para casa e ver seu cachorro na manhã seguinte ao encontro. Seus planos de chegar em casa são frustrados por um encontro mortal recorrente com um policial branco que o obriga a reviver o mesmo dia indefinidamente. Trailer aqui.

💜 Saiba como fazer a Alexa ler livros para você

Projeto nasceu do movimento Black Lives Matter

Travon começou a trabalhar no filme no ano passado em meio ao Black Lives Matter (Vidas Negras Importam), protestos após os assassinatos de George Floyd, Breonna Taylor, Ahmaud Arbery e incontáveis ​​outros na comunidade negra.

Em entrevista ao portal Complex, ele relatou que começou a escrever depois de ver as marchas na Califórnia e as violentas interações entre os policiais e os manifestantes.

“Sempre que saio de casa, penso que não tenho de fazer nada para encontrar a polícia. Eu literalmente não tenho que fazer nada. O registro do meu carro está quitado. Não há razão para me parar. No final do dia, nada disso importa.

É uma coisa que parece que vai te encontrar, quer você queira ou não. Essa é a natureza infeliz disso. Essa é a impotência disso, e isso é assustador. ” O medo de que um encontro com a polícia possa rapidamente se tornar fatal é difícil para qualquer pessoa que não seja negra”, disse.

Travon revelou ainda que a repetição é para dizer que, quando você está assistindo e sentindo isso, é o que eles sentem todos os dias. “Passamos por esse mesmo ciclo toda vez que ouvimos uma notícia, toda vez vemos um novo vídeo”, contou

Dois Estranhos é um símbolo de como os curtas-metragens podem ser excelentes e como esse tipo de material permite a versatilidade de responder à vida real de uma maneira muito rápida”. Travon Free, gênio.

George Floyd, presente! Marielle, presente!

Saraiva oferece promoção de livros (desde R$ 9,90) - Ofertas do Dia

 

 

Aviso: As páginas associadas ao Blog da Monique 
contém links afiliados da Amazon e isso não afeta 
o preço que você pagará no caso de realizar qualquer 
compra por meio deles. O Blog poderá receber 
uma pequena comissão pela venda.

2 comentários sobre “Curta-metragem na Netflix é um grito por justiça racial

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s