Precisamos mais de psicólogos que de Deus

Por favor, não se ofenda. Deus, mesmo se não existisse, teria uma importância incontestável na vida das pessoas. Mas isso é assunto pra outro dia, ok? Reflita comigo. Diante de tantos avanços na ciência, procurar ajuda psicológica ainda é um tabu para a sociedade. Se você aconselha alguém a procurar um psicólogo, ele reage como se isso fosse uma ofensa. Por quê? Acontece que o senso comum associa psicologia com psiquiatria. E psiquiatria é sinônimo pejorativo de doido, louco, lelé da cuca. Essa fama perdura pelo fato de que, no século 18, os primeiros psiquiatras trabalhavam em hospícios. Só depois, quando a psiquiatria adotou conceitos da psicologia, é que os casos mais moderados foram para os consultórios.

É um equívoco catastrófico ignorar a importância de um tratamento psicológico. Não deveria ser vergonhoso procurar ajuda para suportar e encarar as frustrações da vida. Ruim é ficar mais doente ainda. Ruim é fugir da realidade e se entregar ao alcoolismo ou a outras drogas – nesse caso, o sofrimento é extensivo a todos os membros da família e o prejuízo emocional é muito maior.

Todos nós conhecemos pessoas que precisam de ajuda psicológica, e podemos também nos incluir nessa lista.

Todos nós conhecemos pessoas com dificuldade de relacionamento. Pessoas com ansiedade. Com depressão. Com crises de estresse ou vivenciando traumas por um acidente, estupro, sequestro, etc.

Todos nós conhecemos mães dominadoras, que implicam com todos os relacionamentos amorosos do(a) filho(a). Sofrem horrores. A vida delas é um martírio. Infelizes, trabalham pela infelicidade da prole.

Todos nós conhecemos mulheres que sofrem violência doméstica em silêncio diante de uma plateia inocente, os filhos. Elas estão perdidas, sem saber que rumo tomar na vida.

Todos nós conhecemos alguém que saiu de um relacionamento amoroso amargurado, revoltado. Perturbado(a) emocionalmente, trabalha incansavelmente para destruir a vida do(a) ex-companheiro(a).

Todos nós conhecemos pessoas que conseguiram se livrar de algum tipo de dependência porque um amigo indicou uma determinada igreja e, após se recuperar do vício, adotou outro. Talvez pelo fato de que a religião ajuda, mas não cura.

Todos nós conhecemos crianças que não superaram a morte ou a separação dos pais. A criança merece atenção especial, porque muito dificilmente ela vai conversar sobre o assunto que está incomodando. O sofrimento poderá se manifestar de diversas maneiras. É preciso saber enxergar esses sinais, pois o comportamento e as atitudes dela serão o indício de que existe sim a necessidade de ajuda psicológica.

Levanta a mão quem nunca perdeu um amigo ou parente por suicídio. Uma morte que poderia ter sido evitada.

Há algum tempo, a ideia de procurar um profissional na área de psicoterapia estava longe da realidade financeira de muita gente. Hoje, é possível encontrar esse serviço gratuito até mesmo nas pequenas cidades do interior, através do CREAS – Centro de Referência Especializada de Assistência Social ou CAPS – Centro de Atenção Psicossocial. Se você está precisando de ajuda ou conhece alguém que está, não hesite. Procure ou indique a unidade mais próxima no seu bairro.

Monique Gomes é jornalista freelancer, blogueira, cinéfila, isenta de glúten e certificada em Marketing de Conteúdo pela Rock Content.
 

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 156 outros seguidores

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s