Pense bem antes de compartilhar

No início era o verbo: a internet era acessada por poucos. Com o surgimento de programas de comunicação instantânea como ICQ, Messenger e similares, a popularidade começou a aumentar. Agora, com o boom das redes sociais, todo mundo está conectado. O porteiro da escola, a manicure, o guarda municipal, a mãe, a tia, a vó, o cachorro do vizinho. Todos. Isso é muito bom no ponto de vista da inclusão, mas é preciso regras de comportamento para manter uma boa convivência.

Há quem goste de colecionar amigos e quanto mais, melhor. Tudo bem. Tá valendo. Muitos publicam tudo que encontram de engraçado, bizarro ou interessante – no critério deles, claro. Nesse caso, é bom refletir. Nós não somos exatamente aquilo que postamos, mas as coisas que publicamos dizem muito a nosso respeito.

Imagine a seguinte situação: um conhecido seu sofreu um grave acidente e faleceu no local. No facebook, você vê a foto dessa pessoa no momento da tragédia, curte e compartilha para seus amigos. Outras pessoas farão o mesmo e a foto vai ficar “bolando” nos feeds de notícias. Enquanto você se sentiu um jornalista cobrindo um furo de reportagem, amigos e parentes da vítima sentirão mais dor e sofrimento. Se você viu a imagem em um site de notícias confiável e quer mostrar para alguém, mande o link em privado, para que só você e seu amigo veja o conteúdo. Não compartilhe em público.

É difícil rotular o que é ético na internet, mas como diz um velho ditado: “Não faça com os outros aquilo que não gostaria que fizessem com você”. Evite os excessos. Mantenha uma boa postura, na vida e na internet. Pense antes de escrever. Preze pela língua portuguesa, pra fazer bonito. Seja extrovertido ou não, tenha sempre cautela. Cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém.

Ultimamente tem surgido uma avalanche de vídeos que são executados automaticamente. Não é mais necessário clicar para assistir. Basta passar o mouse. Já vi criança apanhando de empregada, animais sendo torturados… Enfim, se eu vi, muitas crianças que acessam redes sociais do computador, tablet ou celular dos pais viram. Será que isso é bom?

Monique Gomes é jornalista freelancer, blogueira, cinéfila, isenta de glúten e certificada em Marketing de Conteúdo pela Rock Content.
 

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 151 outros seguidores

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s