Pular para o conteúdo

Qual o significado do filme Viveiro?

Viveiro (título original: Vivarium 2019/Prime Video), dirigido por Lorcan Finnegan e estrelado por Jesse Eisenberg e Imogen Poots, é uma obra, no mínimo, intrigante.

O filme mistura elementos de ficção científica e suspense psicológico para explorar temas profundos e perturbadores com uma narrativa única e atmosfera claustrofóbica.

O que começa como uma simples visita a um bairro idealizado se transforma rapidamente em um pesadelo surreal, onde cada aspecto da vida é meticulosamente controlado e repetitivo…

O que você vai ler neste post:

  • Viveiro Final Explicado
  • Quem é Martin? Martin é humano?
  • O condomínio Yonder é real?
  • Qual a origem do bebê de Viveiro?
  • Qual o sentimento de Gemma?
  • Por que Tom cava um buraco?
  • O que acontece com o garoto?
  • Tom e Gemma morrem?
  • Qual a explicação do filme Viveiro?

Viveiro Final Explicado

Protagonistas do filme Viveiro Final Explicado para a Revista de Entretenimento Blog da Monique
Protagonistas do filme Viveiro Final Explicado para a Revista de Entretenimento Blog da Monique

O filme Vivarium é centrado no jardineiro Tom (Jesse Eisenberg) e na professora de jardim de infância Gemma (Imogen Poots). Eles são um casal feliz que deseja comprar uma casa.

Isso os leva a visitar um agente imobiliário extremamente estranho chamado Martin (Jonathan Aris). O homem faz promessas generosas sobre a beleza e a perfeição de um empreendimento recém-construído chamado Yonder.

Ele os convence a fazer um tour pelo condomínio.

O enredo começa com a representação de um filhote de cuco empurrando os outros do ninho, enquanto cresce, ameaça consumir a ave adulta que o alimenta. Essa cena é um prenúncio do desfecho do filme.

A narrativa adapta o comportamento do cuco para retratar uma espécie alienígena ou extradimensional que invade a Terra, obrigando os humanos a cuidarem de sua prole, mantendo-os presos em um “ninho”.

Quem é Martin? Martin é humano?

É o agente imobiliário que apresenta o jovem casal Tom e Gemma ao bairro de Yonder. Sua estranheza é evidente desde o início, com maneirismos e comportamentos desconcertantes e não naturais.

Martin não é humano; é um dos alienígenas ou criaturas extradimensionais que fazem parte do ciclo de vida parasitário em Yonder. A função dele é atrair novos casais para a armadilha, onde as pessoas são forçadas a criar uma criança alienígena.

Embora nunca tenha sido explorado o que acontece com aquelas crianças no final do filme, Martin é um exemplo de uma história de “sucesso” de Yonder – ele é uma delas que cresceu.

O condomínio Yonder é real?

A comunidade do condomínio Yonder é um local assustadoramente uniforme e artificial. É composta por fileiras intermináveis de casas idênticas, tem um ar surreal e desorientador.

Cada casa possui a mesma arquitetura e decoração, criando uma sensação de monotonia e confinamento. As ruas do condomínio são labirínticas, sempre levando a pessoa de volta ao ponto de partida, o que impossibilita qualquer tentativa de fuga.

Yonder é um lugar desprovido de vida natural, onde tudo parece falso e fabricado. A ausência de variação ou distinção entre as casas e ruas contribui para uma atmosfera opressiva e claustrofóbica.

Qual a origem do bebê de Viveiro?

O bebê é uma criatura alienígena ou extradimensional com forma humana deixada para Tom e Gemma criarem. Sua origem exata não é explicitamente detalhada, mas ele é parte de um ciclo do parasitismo de ninhada que explicamos acima.

“O Garoto” vem de um lugar misterioso dentro do mundo de Yonder, cresce rapidamente e imita o comportamento humano de uma maneira estranha, sem nenhuma emoção.

É possível que o filme esteja conversando algo sobre paternidade. Tom e Gemma não queriam um filho, mas a sociedade de Yonder exige isso, e o menino que envelhece com o passar dos dias é perturbador, carece de imaginação e fica totalmente indefeso sem eles.

Qual o sentimento de Gemma?

Gemma inicialmente sente uma mistura de desconforto, desconfiança e resistência em relação à criança que eles são forçados a cuidar. Ela não tem nenhum vínculo emocional e se vê presa em uma situação para a qual não queria.

Conforme a história avança, ela tenta manter alguma autonomia na situação enquanto cuida do garoto. Gemma experimenta momentos de ternura e cuidado, mas também frustração e medo diante da situação.

Por que Tom cava um buraco?

Tom fica obcecado por cavar um buraco como uma tentativa desesperada de encontrar uma saída do lugar claustrofóbico e surreal em que ele e Gemma se encontram.

À medida que suas tentativas de fuga convencional falham miseravelmente, o buraco se torna uma expressão de sua recusa em aceitar a realidade imposta pelo misterioso condomínio.

O que acontece com o garoto?

Eventualmente, o garoto atinge a idade adulta em um período de tempo incrivelmente curto, com um desenvolvimento físico e mental acelerado. Durante esse tempo, ele também demonstra ter conhecimento de uma linguagem e símbolos estranhos.

No clímax do filme, ele se transforma completamente em um adulto, tranca Tom e Gemma fora de casa e os observa com desdém enquanto suas condições se deterioram.

No final de Viveiro, o menino, já adulto, retorna à imobiliária, substitui o agora velho e moribundo Martin, e o ciclo começa novamente quando um novo casal entra na agência.

Tom e Gemma morrem?

Tom morre devido ao esgotamento e Gemma, após uma tentativa desesperada de descobrir a verdade sobre o garoto e o mundo ao seu redor, é morta por ele.

Após a morte de Tom e Gemma, o garoto assume o papel de Martin, o agente imobiliário que inicialmente levou o casal a Yonder.

Qual a explicação do filme Viveiro?

O filme usa elementos de ficção científica e horror para explorar temas como a alienação, a repetição monótona da vida cotidiana e o cumprimento forçado de papéis sociais:

Crítica à vida suburbana

Viveiro apresenta a vida suburbana como uma prisão, um ambiente estéril e repetitivo que promete uma vida ideal, mas entrega isolamento e desesperança.

As casas idênticas e as ruas sem fim simbolizam a falta de originalidade e a opressão da conformidade – um cenário pode ser visto como uma crítica ao sonho americano.

Parasitismo

O termo “parasitismo de ninhada” significa uma situação na qual os alienígenas manipulam os seres humanos para cuidarem de sua prole, mantendo-os presos em uma relação parasitária.

Sendo assim, a paternidade é retratada de maneira sombria, mostrando Tom e Gemma sendo forçados a criar um filho alienígena que não desejam.

Perda da autonomia

A impossibilidade de escapar de Yonder representa a falta de controle sobre suas próprias vidas ao serem empurradas para cumprir expectativas sociais e culturais.

Tom e Gemma são símbolos dessa perda de autonomia, obrigados a seguir um caminho pré-determinado sem qualquer possibilidade de desvio ou resistência.

Existencialismo

Viveiro toca em temas existenciais, questionando o significado da vida e o propósito da existência em um ambiente onde todas as escolhas são ilusórias.

A luta de Tom e Gemma para encontrar uma saída, apenas para acabar presos em um ciclo interminável, reflete um sentimento de desespero existencial e a busca incessante por sentido.

A natureza repetitiva e desumanizante de Yonder serve como um comentário mordaz sobre a forma como a sociedade pode sufocar a individualidade e a liberdade pessoal.

Em última análise, Viveiro convida o espectador a refletir sobre as estruturas sociais e os papéis que aceitamos sem questionar.

Aproveite para ler também:

Dente Canino: quão bizarra pode ser uma família?


Por Monique Gomes

Empreendedora digital, copywriter,
analista de SEO on-page, gestora de tráfego.