Pular para o conteúdo

Close: o que acontece com Remi?

Close (2022/Netflix), de Lukas Dhont, ganhou o Grande Prêmio de Cannes e foi indicado ao Oscar de Melhor Longa-Metragem Internacional.

O filme belga levanta vários questionamentos: os homens são ensinados desde muito jovens a não demonstrar afeto com os amigos. Mas e se eles fossem desprovidos desse tipo de estereótipo? Como agiriam?

O que você vai ler neste artigo:

  • Close Final Explicado
  • Léo e Remi são gays?
  • Por que Léo e Remi brigam?
  • O que acontece com Remi?
  • Remi tem depressão?
  • O filme Close é baseado em uma história verdadeira?

Close Final Explicado

Cena do filme Netflix Close Final Explicado para a Revista de Entretenimento Blog da Monique
Cena do filme Netflix Close Final Explicado para a Revista de Entretenimento Blog da Monique

Léo (Eden Dambrine) e Rémi (Gustav de Waele) cresceram em pequenas fazendas geridas por suas famílias. Todos os dias, eles vão e voltam de bicicleta para a escola e, após o dia de trabalho, frequentemente um dorme na casa do outro.

“Imagina que você é um patinho e acabou de sair do seu ovo, tá abrindo os olhos pela primeira vez…” Léo

O amor recíproco é notável: eles se olham com carinho, se tratam com respeito, por vezes deitam a cabeça no ombro um do outro, tudo de forma muito natural e inocente.

Os pais tratam os dois como se fossem seus (Léa Drucker e Emilie Dequenne interpretam as respectivas mães de Leo e Remi, e ambas são fantásticas).

O filme apresenta cenas observacionais da vida quotidiana, revelando a personagem através do comportamento e não do diálogo expositivo. Grande parte da técnica é subtexto, o que depende de nós para bancar o detetive.

E, no entanto, desprovidos de certas pistas, o público cria a ideia que quer, preenchendo as lacunas com a combinação de experiência vivida e preconceito pessoal. O filme praticamente exige que façamos suposições.

Léo e Remi são gays?

Algumas pessoas veem Close como um relacionamento queer (um ou ambos os meninos são gays, mas talvez ainda não tenham percebido isso conscientemente), enquanto outras acreditam que se trata apenas de dois amigos que se amam.

A dor de ter sido rejeitado por Léo é avassaladora, principalmente depois de uma noite em que Léo fica constrangido ao dormirem juntos na mesma cama como de costume.

O comportamento de Rémi parece, para quem está de fora, como a de um amante que foi abandonado e, claro, pode ser exatamente isso.

É importante observar que os meninos são pouco sexuais e não estão familiarizados com essa confusão toda que é amar alguém do mesmo sexo, então tudo o que podem fazer é sentir.

Por que Léo e Remi brigam?

No refeitório da escola, uma garota surpreendentemente ousada pergunta:

“Vocês são um casal?”

Leo fica nervoso e explica que eles são apenas “próximos” como irmãos. Esse é o momento de virada de chave para Leo e Remi, é como se fosse uma grande revelação para ambos.

Para ficar claro: os meninos não fizeram nada de errado. O que aconteceu foi que enfrentaram um choque fundamental de socialização heteronormativa.

O bulliyng vivenciado na escola mostrou que a amizade deles não é considerada normal, e ninguém quer ser diferente no ensino médio.

Nesse contexto, Leo começa a agir de maneira diferente. Quando Remi o toca na escola, ele se afasta, mudando de posição. Depois, não senta na mesma mesa do amigo na sala de aula.

O que acontece com Remi?

Remi comete suicídio, mas o filme não mostra como ele fez isso, apenas sugere. Em uma cena, a porta do banheiro da casa aparece claramente arrombada, o que indica que aconteceu lá.

É impossível mensurar a dor do outro, mas adolescência é uma fase marcada por intensas mudanças físicas, emocionais e sociais.

O cérebro dos adolescentes ainda está em desenvolvimento, especialmente o córtex pré-frontal, que é responsável pelo controle das emoções e pelo planejamento a longo prazo.

Ao mesmo tempo, a amígdala, parte associada às respostas emocionais, está mais ativa. Essa combinação pode levar os jovens a experimentarem as emoções de maneira mais intensa.

Além disso, os níveis hormonais em constante mudança também contribuem para respostas emocionais amplificadas. As perdas, os relacionamentos que não dão certo e outras dificuldades são vividas com uma intensidade que pode parecer exagerada para os adultos.

Remi tem depressão?

pequenas pitas de que Remi poderia estar sofrendo de depressão: no início do filme, antes da amizade se desfazer, a mãe dele (Émilie Dequenne) fica chateada quando o menino se tranca no banheiro – curiosamente é o mesmo lugar onde ele se matou.

Em outro momento, Remi demonstra sentir algo sombrio enquanto participa de um recital e é observado por Léo da plateia. Durante um almoço em família, ele deixa cair algumas lágrimas enquanto está evitando a comida.

O pai pergunta o que houve, mas Remi diz que é apenas uma dor de barriga e a mãe promete fazer água morna com limão para ele melhorar. Tudo isso pode ou não ser sinal de depressão, mas o filme não deixa claro.

O filme Close é baseado em uma história verdadeira?

Close não é baseada em fatos, mas poderia, afinal de contas, é na adolescência que descobrimos a nossa sexualidade e passamos por diversas transformações. A mensagem principal de Close é que ninguém tem o direito de escolher quem as pessoas devem amar.

O diretor Lukas Dhont disse em entrevista que, quando era criança, sofreu bulliyng porque os garotos o achavam “muito afeminado”. Sendo assim, de certa forma ele se inspirou na própria experiência e também em fatos que realmente acontecem na adolescência.

Aproveite para ler também:

24 Citações de Matthew Perry, o eterno Chandler de Friends


Por Monique Gomes

Empreendedora digital, copywriter,
analista de SEO on-page, gestora de tráfego.