Pular para o conteúdo

A força extraordinária das palavras de Bob Dylan

Revista de Entretenimento

Mesmo antes de Bob Dylan ganhar o Prêmio Nobel de Literatura em 2016, o estimado crítico literário Christopher Ricks se referia a ele como “o maior poeta vivo da língua inglesa”.

Qualquer pessoa que esteja procurando um vislumbre de por que a destreza verbal de Dylan sempre manteve tantos admiradores cativados deveria ler A Filosofia da Canção Moderna.

Continue a leitura para saber mais.

Bob Dylan e a Filosofia da Canção Moderna

Livro de Bob Dylan: A Filosofia da Canção Moderna
| VER PREÇO |

A Filosofia da Canção Moderna se destaca como crítica musical tradicional quando quer: Dylan tem o dom de fazer comparações surpreendentes e provocativas.

É uma coleção de 66 ensaios que ele começou a escrever em 2010 e seu terceiro livro oficial (seguindo “Tarantula”, uma coleção de poemas em prosa publicada em 1971, e “Crônicas: Volume Um”, um livro de memórias inusitado de 2004).

Mas a leitura está no seu melhor quando decola em voos mais poéticos da fantasia. Sendo Dylan, o livro também é frequentemente digressivo, engraçado e perverso.

Um ensaio de Johnnie Taylor, por exemplo, serve para Dylan indiciar os advogados gananciosos que ele vê como responsáveis ​​pela indústria do divórcio de bilhões de dólares.

Isso antes de seguir para uma escandalosamente defesa satírica do “casamento polígamo”.

Outras análises podem pegar os leitores desprevenidos com seus rompantes de sinceridade, como quando denuncia o desrespeito pelos idosos ou os maus-tratos históricos aos nativos americanos.

Alguns, sem dúvida, ficarão chocados com a inclusão de artistas como Cher, The Eagles e The Fugs, enquanto várias das maiores influências de Dylan (como Woody Guthrie e Robert Johnson) ficaram de fora.

Vale ressaltar, no entanto, que o livro não pretende ser uma enciclopédia abrangente, mas sim uma série de reflexões ecléticas – algumas divertidas, outras profundas – sobre canções sobre as quais o autor sentiu que tinha algo a dizer.

Reconhecimento

Bob Dylan, músico, poeta

Oferecendo-lhe um prêmio do Kennedy Center em 1997, Bill Clinton agradeceu a Dylan por “uma vida inteira mexendo com a consciência da nação” – uma visão com a qual o presidente da Câmara, Newt Gingrich, inimigo de Clinton, concordou.

Clinton, que, como candidato presidencial, enfrentou questões complicadas sobre o adiamento de seu recrutamento, disse que Dylan forneceu aos que protestaram contra a guerra do Vietnã “uma bússola moral tão acessível quanto o rádio mais próximo”.

Dylan nunca se pronunciou especificamente contra a guerra do Vietnã, mas canções como “Masters of War” e “The Times They Are a-Changin’” visavam claramente o complexo militar-industrial e os senadores e congressistas, mães e pais, rápido em criticar “o que eles não conseguem entender”.

As canções que escreveu em cadernos de cinco centavos nas cafeterias do Village falam para nós hoje com a mesma urgência que falaram com Clinton…

Pense em “With God On Our Side” e “A Hard Rain’s a-Gonna Fall”, a visão de guerra do pesadelo de Dylan escrita enquanto o mundo olhava para o abismo durante a Crise dos Mísseis de Cuba.

Através de canções como “The Ballad of Medgar Evers” e “The Lonesome Death of Hattie Carroll”, as sombrias paradas da sangrenta luta pelos direitos civis da América entraram na consciência global.

Como os trovadores e baladeiros de antigamente, as primeiras canções de Dylan nos forneceram lições de história. Eles deram voz às nossas queixas e sofrimentos.

Como Barack Obama declarou em 2012 ao pendurar a Medalha Presidencial da Liberdade em seu pescoço, Dylan redefiniu “não apenas como a música soava, mas a mensagem que ela carregava e como fazia as pessoas se sentirem”.

Quando o Conselho do Prêmio Pulitzer de 2008 homenageou Bob Dylan, foi com uma menção especial reconhecendo seu “profundo impacto na música popular e na cultura americana, marcado por composições líricas de extraordinário poder poético”.

Aproveite para ler também: 10 Frases da Autobiografia de Rita Lee

Por Monique Gomes

Jornalista, copywriter, cinéfila e livre de glúten.

Você ainda baixa filmes na internet?

5/ 5 (3 classificação)

O Roku Express é a maneira mais fácil e barata de transformar sua TV em Smart TV de verdade. Basta plugar e ativar pra você ter acesso a milhares de filmes e séries.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *