Vamos bater um papo sobre castração química em seres humanos?

O Brasil registra mais de 160 estupros por dia. Segundo a Revista Exame, os casos de ataques em locais escuro são minoria. Metade das vítimas são crianças e grande parte dos estupradores são conhecidos ou parentes.

Sabendo que o deputado e candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) é autor do Projeto de Lei 5398/13 que dispõe sobre a castração química para estupradores e, pelo fato de ele estar liderando as pesquisas no momento, vamos esclarecer algumas dúvidas a esse respeito.

Afinal, o que é castração química em seres humanos?

É um procedimento que consiste em uma forma temporária de privar o homem de ter impulsos sexuais por meio de medicamentos hormonais. Ao contrário do que muita gente pensa, a remoção dos testículos não é feita.

O impulso do paciente diminui, mas o interesse não. Além de tudo, é um método reversível, só pode funcionar se o tratamento for contínuo e tem uma série de complicações como efeitos colaterais.

Quanto custa o tratamento?

A droga pode ser encontrada em farmácias no valor aproximado entre R$ 2 a 3 mil por injeção. A cada três meses é preciso reaplicar. Se o homem parar de usar o medicamento, o desejo sexual pode retornar em um mês.

Como o presidenciável pretende fazer isso?

Não faço a menor ideia, até porque a promessa é reduzir impostos e não acabar com as regalias da elite política. Para um projeto dessa natureza ser aprovado, seria preciso investir um recurso exorbitante e mudar o artigo da Constituição Federal que assegura o respeito à integridade física e moral da pessoa humana.

Acontece que o candidato não está muito preocupado com a saúde da mulher. Ele também é autor do PL 6055/2013  que dispõe sobre o cancelamento do atendimento obrigatório e integral às pessoas vítimas de violência sexual. Em 1993, foi favorável à redução da licença maternidade, um direito garantido pela Constituição de 1988.

Para ele, a formulação de políticas públicas para prevenção e tratamento do HIV também não é problema do Estado. Como afirmou em 2010, no Programa CQC: “As pessoas contraem doenças por conta da vida mundana e depois querem usar o dinheiro público”.

Segundo a Revista The Economist desta semana, Bolsonaro seria um “presidente desastroso”, pois tem uma “admiração preocupante pela ditadura” e se aproveitou do atual clima do país e da revolta da população contra os políticos para se popularizar.

A castração química é a solução mais viável?

Segundo especialistas, não. Estupro não é só sobre sexo, mas sobre violência. O desejo de poder e dominação sobre o outro podem ter outras motivações além do orgasmo.

Francisco de Assis Pereira, mais conhecido como Maníaco do Parque, o cara que estuprou e matou várias mulheres em São Paulo, era sexualmente impotente.

Mesmo incapaz de manter uma ereção ou ejacular em um relacionamento normal, esse detalhe não o impediu de ser um assassino em série…

 

E aí, gostou de saber mais sobre castração química em seres humanos?

Inscreva-se para receber outros artigos no seu e-mail!

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 151 outros seguidores

Monique Gomes é blogueira, jornalista freelancer certificada em Marketing de Conteúdo, odeia glúten mais que tudo, ama cinema e doguinhos.

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s