ACCN promove encontro para viabilizar ações sustentáveis para a região da Costa Negra

A Associação dos Carcinicultores da Costa Negra – ACCN – promoveu um encontro para debater assuntos relevantes para a Costa Negra, região compreendida pelas cidades de Itarema, Cruz, Jijoca e Acaraú e assim denominada pelo fato de possuir um solo escuro, diferenciado, rico em nutrientes capazes de produzir um tipo especial de camarão, com qualidade superior.

O evento aconteceu dia 21 de junho, no auditório da Câmara Municipal de Cruz, e contou com a presença de Livino Sales, Presidente da ACCN, Paulo Emídio, representante do SENAR Ceará, Márcio Bezerra, Diretor do Instituto Federal Tecnológico – IFCE, Gerardo Newton, CENTEC, Pedro Henrique, representando a Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará – ADECE e representantes da sociedade civil, que foram recepcionados por Jonas Muniz, Prefeito de Cruz, e Erlandson Muniz, Vereador.

Dra. Socorro Lima, advogada da Associação, e Dr.Antônio Peixoto, Coordenador da Comissão Técnico-Científica, apresentaram conceitos sobre a indicação geográfica do camarão da Costa Negra, informações e números relevantes a respeito do perfil populacional, índices de analfabetismo, desenvolvimento humano, renda familiar per capta, entre outros. Peixoto afirmou que uma das prioridades é descobrir novas atividades econômicas para alavancar o desenvolvimento da região. Mobilizar a sociedade, estimular o associativismo, identificar grupos de interesses e desenvolver potencialidades econômicas são objetivos fundamentais. “De início, vamos realizar a Semana do Associativismo, que acontecerá em outubro”, declarou, afirmando ainda que a Associação dos Carcinicultores deseja contribuir para que os mesmos benefícios da região da Costa Negra sejam estendidos para o Litoral Leste.

Jonas Muniz, Prefeito de Cruz, apresentou o livro ‘Costa Negra’, de autoria da jornalista Edgony Bezerra, aos participantes do encontro.

Do empreendedorismo do grupo que compõe a Associação, formada por 33 empresários que produzem juntos cerca de 9 mil toneladas de camarão por ano, nasceu um livro que conta toda a história de como surgiu a ideia da Costa Negra, com detalhes sobre cada município. Segundo Livino Soares (foto acima), o grupo pretende publicar mais um livro, objetivando apresentar o perfil socioeconômico da região. Para isso, eles estão fazendo um levantamento sobre as culturas existentes desde o ano 1958 até os dias atuais.

O grupo enfatiza a importância da certificação da denominação de origem do Camarão da Costa Negra (selo que identifica um produto ou serviço dotado de características próprias exclusivamente pelo meio geográfico) para alavancar o desenvolvimento da região. Livino ressalta a importância de utilizar esse potencial para fortalecer o turismo. “Eu não tenho dúvidas que nós vamos receber uma demanda muito grande de turistas aqui na nossa região”, alertou.

O encontro foi oportuno para a apresentação da programação preliminar da quarta edição do Festival Internacional do Camarão da Costa Negra, um evento anual de caráter gastronômico e cultural que acontecerá entre os dias 27 de novembro e primeiro de dezembro, em Acaraú, com a presença de chefs nacionais e internacionais, realização de oficinas, cursos, palestras, além das atrações musicais que serão divulgadas em breve. Reportagem de Monique Gomes. TM Assessoria & Comunicação.

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s