Bem-me-quer, malmequer: o papel do hífen na nova regra ortográfica

Por que será que bem-me-quer tem hífen, mas malmequer não?

A partir de 2013 o uso das novas regras ortográficas é de uso obrigatório. Calma. Não é o fim do mundo como a civilização Maia previu.

Entretanto, essa mudança marca o apocalipse oficial da ortografia que conhecemos desde o tempo em que nos reconhecemos como gente.

As regras de acentuação não são difíceis de memorizar. Basta um pouco de tempo pra gente se acostumar com ideia, feiura, joia, enjoo, etc.

O não uso do trema é a regra mais fácil, claro, é só abolir. Mas o uso do hífen, esse é cruel. Cruel porque são muitas as exceções que fogem da regra.

Bem-me-quer se escreve assim porque é uma espécie botânica, mas malmequer, que também é uma planta, se manteve junto pela tradição, e ponto final.

Ou seja, o papel principal do hífen é complicar a vida da gente…  Veja: um vaga-lume que insiste em vagalumear. Ou: estou mal-curada da gripe. A cachorrinha da vizinha está muito malcuidada… Égua… A explicação é que se mal+palavra contém sentido de doença, usa o hífen.

Conheça outras regras básicas do hífen e comece a se familiarizar com as palavras

Prefixos terminados em vogal + palavras começadas por R ou S
antessala, autorretrato, antissocial, antirrugas, arquirrival, autorregulamentação, autossugestão, contrassenso, contrarregra, contrassenha, extrarregimento, infrassom, ultrassonografia, semirreal, suprarrenal.

Prefixo + palavras com a mesma vogal
anti-ibérico, anti-inflamatório, anti-inflacionário, anti-imperialista, arqui-inimigo, arqui-irmandade, micro-ondas, micro-ônibus.

Prefixo + palavras com vogal diferente
autoafirmação, autoajuda, autoaprendizagem, autoescola, autoestrada, autoinstrução, coautor, contraexemplo, contraindicação, contraordem, extraescolar, extraoficial, infraestrutura, intraocular, intrauterino, neoexpressionista, neoimperialista, semiaberto, semiárido, semiautomático.

A regra não se encaixa quando a palavra seguinte iniciar por h: anti-herói, anti-higiênico, extra-humano, semi-herbáceo.

Gostou das dicas? Cadastre seu e-mail gratuitamente para receber as novidades do Blog!

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Anúncios

4 comentários sobre “Bem-me-quer, malmequer: o papel do hífen na nova regra ortográfica

  1. Há um erro com relação a MALCURADO. Deve se escrever sem hífen, conforme está registrado no Aurélio. Usamos hífen com MAL quando for nome de doença e não estiver com elemento de ligação. Por exemplo: MAL DE ALZHEIMER, é nome de doença, mas sem hífen, pois tem elemento de ligação. Mas MAL-FRANCÊS, que é nome de doença e não tem elemento de ligação. No mais, MAL só pede hífen quando vier antes de VOGAL, H ou L. Assim: MAL-EDUCADO, MAL-ESTAR, MAL-AMADO, MAL-HUMORADO. Mas: MALCRIADO, MALCURADO, MALFAZEJO.

    Curtir

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s